Quer trabalhar fora do Brasil? A importância do seu Curriculum Vitae.

by - terça-feira, fevereiro 16, 2016


Este post é dedicado a todos os que estão procurando um jeito, qualquer jeito, de poder fazer as malas e se mandar do Brasiu-iu-iu.

Muita gente sonha com isso. Muita gente mesmo.  Só o Blog da Dupla (que já conta com trezentos mil visitantes) e  a caixa de correio da Dupla mostram o tamanho da procura, e olha que por aqui chegam pessoas que basicamente estão procurando emigrar para o Canadá! Some-se a essa turma as centenas (milhares?) de pessoas que sonham em ir para a Austrália, Portugal, Inglaterra, Itália, Estados Unidos etc e tal e vocês notam que é gente que não acaba mais!!!!

Pensando em vocês, resolvi escrever este post sobre o Curriculum Vitae em inglês.

1.  REVISÃO:  Nunca, n-u-n-c-a, n.u.n.c.a mande o seu currículo sem que antes uma pessoa que tenha inglês como lingua nativa e tenha experiência em résumés dê uma olhada. Mesmo que você seja o fodão do IELTS ou do Toefl,  ou tenha estudado a vida inteira no Brasil em colégio bilingue. Sempre, sempre, sempre peça a alguém para fazer uma revisão criteriosa.

Currículo é coisa muito séria e você não vai querer que a sua primeira impressão seja uma tragédia, não é mesmo?

2. NUNCA: Nunca escreva “Curriculum Vitae” ou “Résumé” no topo da página.  Se você está enviando o seu résumé (que é como é chamado o Curriculum Vitae em inglês), o potencial empregador já sabe que está recebendo um résumé e, obviamente-óbvio, um documento que tem o nome da pessoa, empregos anteriores, etc etc etc  só pode mesmo ser um currículo  e não uma receita de bolo, não é mesmo?

Então mostre que você é esperto e omita aquela linha cafona, que alguns até colocam em negrito e sublinham, escrito “Résumé” ou “Curriculum Vitae” ou whatever.

3. NOME: Comece pelo seu nome.  Centralizado ou alinhado à esquerda, o estilo quem escolhe é você.  Evite “inovações”  de alinhamento à direita ou mudança de cor da fonte.

Depois do seu nome vêem as informações pessoais.  Na realidade bastam o seu telefone e o seu email.

Endereço NÃO é necessário, você coloca se quiser.  Eu recomendo que você não coloque o seu endereço físico.

Melhor que os dados pessoais (nome, email e telefone) façam parte do “corpo” do résumé e não sejam da forma “header” (cabeçalho).  Isso torna mais eficiente o arquivamento / indexação dos seus dados pelos computadores da empresa que está recebendo seu currículo.

FUNDAMENTAL você colocar os seus telefones (incluindo o celular contendo os prefixos  __ internacional e estadual), e colocar também o seu email que evidentemente será o seu email pessoal e não o da empresa onde você está trabalhando, senão você já terá perdido a oportunidade, porque você não pode desrespeitar a empresa onde trabalha procurando emprego com seu email profissional não é mesmo?

4. EMAIL PESSOAL: Esse ítem é TÃO IMPORTANTE que ganhou um tópico só para ele.  Claro, você já leu aí em cima que tem que colocar o seu email pessoal.  Mas.... tem um porém:

NUNCA. NEVER. EVER.  use um email tipo “hotmail” ou ig ou.... outros desta linha.

Quer fazer bonito?  Mande um email através de uma conta do gmail.

Você ainda não tem gmail?  Não há problemas! Crie uma, nem que seja apenas para ser usada nos seus currículos (e obviamente não esqueça de consultá-la diariamente para ver se teve retorno de algum résumé enviado!).

Se você ainda não tem gmail, vá agora mesmo no Google e crie sua conta! É grátis, é eficiente e você já vai dar uma tremenda boa impressão.

Se o  seu nome já estiver “saturado” evite algo como “Paulo45362@gmail.com”.  O próprio Google vai te dar alternativas caso o nome que você queira usar já esteja em uso.  Procure algo efetivo, talvez usando iniciais do seu sobrenome etc.

Se você não usar hotmail suas chances já crescem em pelo menos uns 70%....

5. VIDA PESSOAL:   Como o próprio nome diz, “vida pessoal” é pessoal. Ao contrário do Brasil, em que muita gente escreve “casado, 3 filhos”,  ou “solteira sem filhos”, etc,  evite fazer isso quando enviar um résumé para uma empresa no exterior.

Aqui ninguém está interessado em saber se você é solteiro (a), viúvo (a), casado (a), ou gay.

Aqui ninguém está interessado em saber se você tem filhos!  Aqui esse assunto faz parte da sua privacidade (privacidade é algo valorizado e respeitado nos países civilizados).

Sua vida pessoal não interessa à ninguém. Aqui querem saber se você está apto(a) a desempenhar a função. E ponto final.

Então esqueça aquele papo de “casado dois filhos” pensando que isso vai acrescentar alguma “respeitabilidade” e aumentar suas chances de ficar com a vaga. Não vai. Na realidade só vai te atrapalhar porque você está expondo sua vida pessoal, e se você expõe a sua vida pessoal, o que podem pensar sobre a sua capacidade de ser discreto  e não expor informações da empresa?

Diga aí....

5. TAMANHO:  Quanto mais curto e objetivo melhor. Evite um résumé longo, daqueles que você conta até o nome do Jardim de Infância onde estudou, e o nome da escola primária onde foi alfabetizado. Coloque apenas informações relevantes.

O currículo não deve ter mais que duas folhas  (para quem tem muita experiência) e apenas uma folha para quem terminou a faculdade há pouco tempo e tem ainda poucas empresas na bagagem.

Não vale você  querer deixar “curto" usando uma fonte de tamanho formiguinha, porque aí a emenda fica pior que o soneto.  Escreva em fonte 11  (ou 12 se a arrumação na página ficar melhor) e se vire  para caber tudo ali.

Se você for da área de ensino / pesquisa e a vaga for para a área acadêmica e de pesquisa, aí vale você ter um maior número de páginas,  pois certamente você irá relatar a lista de suas participações em congressos, trabalhos publicados, etc (partindo-se do pressuposto que você tenha dezenas de participações em congressos, muitos artigos publicados, etc etc etc).

Na grande maioria dos casos, estamos falando em vagas em empresas,  e não em universidades / centros de pesquisa, então fique com a regra de duas folhas que você vai estar bem na fita.

6. IDIOMAS: Se você estudou espanhol, francês, alemão ou qualquer outro idioma por um determinado período e continua sem domínio, abstenha-se de colocar essa informação.

Não vai ajudar, porque não sendo fluente você não poderá ser considerado como tendo "mais um idioma”,  fora o fato que,  se foi algo que você fez por um período, e parou antes de ter proficiência, você vai passar para a empresa impressão de que não ter objetivos definidos,  já que começa algo e não termina.

Eu recomendo que você coloque em seu résumé os idiomas em que você tenha, realmente, proficiência. De outra forma você estará dando um tiro no próprio pé.

Recomendo que você na parte de “Idioms”, coloque “Portuguese: Native”  e “English: Fluent”. Não esqueça de mencionar o português porque o carinha lá do outro lado do mundo não vai adivinhar que você fala português... sem contar que muita gente por aí afora pensa que a língua falada no Brasil é o espanhol!!!!  kkkkk

7. VOLUNTARIADO: É uma pena que no Brasil as pessoas não pratiquem muito o voluntariado, porque esse assunto é super bem visto em todos os países civilizados, especialmente aqui no Canadá.

Se você trabalhou, ou trabalha como voluntário em qualquer organização, não deixe de mencionar essa informação. As pessoas que são voluntárias são muito bem vistas aqui!

8. APARÊNCIA: Não esqueça que a primeira impressão que a empresa vai ter de você é o seu Curriculum Vitae! Ou seja, ele tem que estar IRREPREENSÍVEL.

Um errinho no alinhamento e você “já era”, porque não adianta você escrever na “Cover Letter” que é  uma pessoa “muito atenta a detalhes” se você não consegue ver erro de alinhamento no seu próprio résumé!  Olha que tragédia!

9. REVISÃO,  REVISÃO,  REVISÃO:  Pode ser que  você tenha  uma carreira extensa,  e no momento que prepara o currículo você não lembra “exatamente em que ano”  começou naquela empresa lááá atrás, aquela do início da sua carreira.  Você só lembra que saiu em  2009.  Então você escreve “200”, esperando para colocar o “1”, ou “2” ou “5”  para completar o ano,  mas acontece uma coisa e outra,  e quando você nota.... TIBUM, seu currículo foi enviado assim:

Empresa XPTO -  Março 200    - Outubro 2009

Já pensou????????  Mas acontece!!! Então o carinha lá do Departamento de Recursos Humanos da empresa vai dar uma gargalhada quando ler o currículo de um cara “muito atento a detalhes” que  trabalhou numa empresa desde o ano 200  até o ano de 2009.

Se você for da área de custos então, seu nome vai estar cortado dessa empresa  _ e de todas as afiliadas,  pelos próximos cinco séculos.

Quem vai querer alguém da área de custos,  ou um gerente,  ou um diretor, que “esquece”  um dígito?????  Pois é....

Por isso eu digo: Revisão, revisão, revisão!

10. TABAJARA: Muita gente acha que é “muito difícil” encontrar "emprego fora" estando ainda o Brasil. Não é verdade.

Claro, você pode até já ter mandado dezenas de currículos para os Estados Unidos,  Canadá, Austrália... para a PQP.   Aí você não foi chamado para nenhuma, nenhuminha,  entrevista.

Você, orgulhoso, acha que a “culpa” de não ter sido chamado é que você não está “in loco” batalhando a vaga.

Não.... não é bem isso.

Talvez você não tenha tido nenhum resultado positivo simplesmente porque...... o seu currículo está mal feito!!!  Você já pensou nisso?

O que acontece é que muita gente manda um currículo mal feito, todo Tabajara, e no mundo civilizado as empresas são extremamente profissionais, exigentes e atentas a detalhe.

Pode ser que a sua "grande experiência no Brasil", seus milhares de cursos, pós graduações, mestrados, doutorados etc  não estejam sendo "valorizados lá fora” por uma deficiência na forma de preparo do currículo e por deficiências no uso da língua inglesa.

Treco Tabajara só funciona no Brasiu-iu-iu onde um Tiririca consegue se eleger deputado federal, um analfabeto consegue ser presidente da república (em minúsculas propositalmente), e um monte de incompetentes tem as rédeas de grandes empresas apenas porque têm pistolão ou pertencem a determinado partido político.

Aqui fora o buraco é bem mais embaixo.... e se você tiver um currículo Tabajara você não consegue nem a entrevista, quanto mais a sonhada vaga!

11. PALAVRAS CHAVE: Muita gente já sabe que as palavras-chave são o grande “must” de um résumé bem feito. É por isso que você não tem apenas uma,  mas várias versões do seu résumé.

Claro, as empresas em que você trabalhou são as mesmas, as datas também  (de preferência escritas corretamente), mas as atividades desenvolvidas durante sua permanência é que  terão que ser eficazes para o que é pedido na vaga.

Nas grandes empresas, quem lê o seu currículo não é uma pessoa, mas um computador.  Se o seu currículo contêm informações que vão de encontro ao que eles estão procurando,  ele é selecionado e direcionado para um ser humano, que irá dar prosseguimento ou não.

Se o computador, que é o “primeiro cara” que lê o seu résumé, não encontrar nada de relevante para a vaga,  o processo é interrompido.  E não adianta você ficar feliz quando receber um email automático (mesmo que tenha seu nome no cabeçalho hahaha)  dizendo que você "não foi selecionado para a posição mas vamos mantê-lo no  nosso banco de dados para uma nova oportunidade”.  Isso é papo furado.

Se o seu résumé estava todo “Tabajara”,  a empresa não vai gastar espaço no banco de dados com suas informações. Você vai para a lata do lixo, sem escalas.

Daí a importância de tudo muito bem feito e de você tomar muito cuidado com as informações enviadas.

12. O QUE VOCÊ REALIZOU: Mais importante do que dizer quais as tarefas dos seus cargos anteriores é você mencionar as suas realizações.  Diminui custos? Quantos por cento em quantos anos? Inventou alguma coisa? Qual foi o benefício que você deu à empresa com o seu invento.

Ou seja, dê mais ênfase em relatar as suas realizações do que as suas obrigações.

13. ATRATIVO:  Seu résumé tem que ser algo atrativo aos olhos. Na realidade o résumé é um espécie de “comercial de revista”, só que o “produto” é você.

Não misture “500 fontes”  diferentes.  Escolha um fonte e vá com ela do início ao fim. Procure usar uma fonte clássica, tipo helvética (sempre uma favorita), arial, e outras que não têm “frescuras”.  Evite fontes rebuscadas ou que dêem uma aparência meio infantil, como a verdana.

Jamais escreva com fontes de letra tipo cursiva ou em itálico.  Vocês estão rindo??  Eu já recebi dezenas de currículos escritos com essas fontes!  Deixe a “letra cursiva” para os envelopes do seu convite de casamento....

Evite frescurinhas, coisinhas, cores.

No máximo uma "bullet point".
  • Essa bolinha quando usada direito,  e sem excessos,  ajuda a deixar o currículo atraente
Pense no seu résumé como um objeto elegante. Pense na elegância de uma bolsa prêta da Prada, que não tem “balangandã”  nenhum,  e na cafonice de uma bolsa de camelô cheia de correntinha dourada, espelhinho pendurado e lencinho de oncinha amarrado na alça.  SACOU o que é um résumé elegante?????   :)

14. LinkedIn:  As empresas gostam de ver a social media dos candidatos e as suas ligações profissionais. É sempre importante você colocar um link para a sua conta do LinkedIn. As empresas gostam de ver as suas interações sociais.  A vantagem do link é que a empresa vai diretamente para a sua página do LinkedIn, e não para a de alguém que tenha o mesmo nome que você.

15. Twitter:  Se você costuma usar o Twitter profissionalmente, escrevendo ou fazendo retweets (RT) de assuntos profissionais, vale você colocar o seu Twitter handle. Mas... se você é daqueles que só usa o Twitter para obter / passar informações sobre a  lei seca, ou para comentar sobre o último campeonato de futebol, sinuca ou pôquer eu recomendo que você deixe o Twitter de fora.

Você não vai querer passar a impressão que a sua maior preocupação / interesse é com a Blitz da Lei Seca.  Nenhuma empresa, no mundo, ou até mesmo no Brasiu-iu-iu, quer um bêbado como funcionário.

Nunca se sabe se as empresas não irão dar uma olhada por aí, procurar você no Twitter e olhar o que encontram.

Na sua busca de emprego eu recomendaria uma revisão criteriosa em sua conta do Twitter apagando todos os tweets que não sejam relevantes para o seu objetivo de picar-a-mula do Brasiu-iu-iu __ se é isso mesmo que você deseja, e se não fosse você não estaria lendo esse post tão comprido até agora não é mesmo?  rsrsrsrs

16. Facebook: Claro,  ninguém vai colocar link para a conta do Facebook mas......eu recomendo fortemente que você faça uma boa faxina na sua timeline, apagando tudo que possa desqualificar você.

Piadas grosseiras, discriminação de qualquer espécie, fotos daquele churrasco em que você bebeu “todas” e está com os olhos vermelhos e cara de bêbado com uma garrafa de cerveja na mão?  DELETE.  

Aquela foto que você está com a mãozona na bunda da sua namorada e ela fez um “tag” em você e colocou a foto na timeline dela? DELETE.

Você nunca sabe se o seu "potencial empregador"  tem um departamento especializado em “investigar mais a fundo” os candidatos a uma vaga, ou até mesmo os candidatos que estão no processo de seleção, “prontos” para serem contratados.

Todo cuidado é pouco.  Tem muita gente batalhando vagas. A competição está cada vez mais acirrada. Quanto mais “pianinho”  você ficar, melhores serão suas chances!


Finalizando: Conforme falei no início, mesmo que você se ache o “fodão” em inglês, nunca envie seu résumé sem que pelo menos outras três pessoas, de preferência pessoas experientes e que tenham total domínio da língua inglesa (native speakers) façam uma boa revisão.

Se você tiver aquele professor velho e chato da época da faculdade, mas se o cara fez doutorado em Harvard e tem uma experiência incrível, deixe seu orgulho de lado e vá lá procurar o ex professor e peça a ajuda dele para olhar seu currículo em inglês.

Se você tem uma tia velha & chata & rabugenta,  mas ela tem mil amigos americanos ou canadenses trabalhando em ótimas empresas e universidades americanas ou canadenses,  e se a sua tia velha puder contactar os amigos dela para rever seu currículo, não perca essa oportunidade.

Ela pode ser velha e chata, mas os amigos dela poderão revisar seu currículo e isso poderá ser a  diferença entre você conseguir uma oportunidade fora do Brasil ou continuar aí aturando corrupção, violência, falta de infra estrutura, desemprego, inflação e... mosquitos.

Não seja orgulhoso.  Qualquer pessoa que puder te ajudar, aceite. Aliás, nem espere oferecerem. Peça ajuda.

Pode acontecer de seus familiares e amigos próximos não terem experiência suficiente para traduzir e arrumar seu currículo,  mas pode ser que o amigo-do-amigo deles tenha essa experiência e possa ajudar você.

Não desperdice ajuda e jamais vire as costas para quem quiser te ajudar porque o “pulo do gato” para a mudança e aumento na sua qualidade de vida pode estar exatamente aí!

Adorarei ouvir vocês e adorarei mais ainda se os leitores puderem contribuir acrescentando tópicos que por ventura não tenham sido cobertos nesse (enorme) post! :)


Update 2017:  O tempo passou e estamos mega felizes no Canadá. Criamos uma empresa de tours onde ajudamos os brasileiros a levarem memórias incríveis da melhor cidade do mundo!  Visite nossa página no Facebook (não esqueça de dar “like”) e fique por dentro das novidades https://www.facebook.com/vancouverbylocals/

26 comentários

  1. Olá Dupla!
    Obrigada pelo seu post, como sempre com bastante informação, divertido e com zero de frescura! rs
    Se me permite uma sugestão, tenho encontrado dificuldade em opter informações consistentes sobre a imigração familiar, o que encontro é a respeito da imigração de pessoas entre 20 e 25 anos via college, com ou sem um companheiro para ter permissão de trabalho full time. Minha busca é para saber da viabilidade em imigrar com família constituída (filhos em idade escolar, inclusive)e adultos acima de 30 (na faixa dos 40 pra ser mais exata). Temos este perfil, e este interesse, mas não encontro informações concretas sobre se é real e quanto de $$ seria necessário para isso.
    Obrigada!!
    Simone

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Simone!

      Obrigada pelos elogios ao Blog da Dupla e por sua participação. O tema solicitado por você vai ser tratado em breve. Escreveremos tudo que você precisa saber! ;)

      Fiquem ligados no Blog da Dupla! :)

      Excluir
  2. kkkk qual o preconceito contra hotmail ? Juro que não entendi....meu email é nomesobrenome@ e tenho contas no hotmail e gmail e não entendi porque o hotmail seria preterido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Haha....

      São várias razões!!! Abaixo uma pequena mostra:

      1. O hotmail é considerado "pouco profissional ". Simplesmente não dá impressão de "seriedade"

      2. O hotmail não permite attach maior q 10 MB

      3. Hotmail não faz uso de IMAP

      4. O forward não é viável no hotmail

      5. O hotmail é "famoso" na internet por algumas (muitas) vezes falhar na entrega de emails, deletar attachments, fazer filttro agressivo sem conhecimento do usuário colocando como spam muita coisa que não é spam (ou seja.....aquela empresa ATÉ te respondeu mas o hotmail decidiu que o email era spam e aí vc nunca ficou sabendo que deveria telefonar para o número de telefone tal e falar com fulano para agendar sua entrevista)

      6. Há vários provedores de email mas nenhum deles é tão bem considerado / visto com bons olhos como o gmail.

      Quer continuar com o provedor antigo? Continue.

      Mas.... Para assuntos de procura de vaga de trabalho, envio de currículos etc etc etc recomendo que você use apenas e somente só o..... GMAIL.

      E.... Isso não é "propaganda paga", ok?

      Para os insistentes e teimosos, que estejam com preguiça de abrir uma conta de gmail:

      Tem um artigo engraçado sobre isso no Linkedin intitulado "Don't hire Hotmail users & other tips to save your company culture".

      Tem muiiiiiitos artigos na internet falando como os currículos de usuários Hotmail são mal vistos.

      Abram uma conta do Gmail e grande parte do seu problema de busca de emprego já estará resolvida!

      Para vc que usa os dois provedores, recomendo só o gmail para assuntos profissionais!

      Boa sorte a todos!!!!

      Excluir
  3. Informar sempre, perder o humor jamais! Sensacional!

    ResponderExcluir
  4. Olá, estou começando nessa ideia de imigração para o Canadá. Trabalho com TI, mas, assim como medicina, há muitas especialidades diferentes. Vocês teriam como fazer um post com traduções um pouco mais técnicas? Exemplo, meu cargo atual é Analista Funcional, que traduzindo seria Functional Analyst, mas não sei se aí o nome do cargo seria esse...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Bruno!

      Obrigada por participar aqui do Blog da Dupla. Eu também não sei qual a tradução correta para o seu cargo mas vou "pedir ajuda aos universitários" (rsrsrs) e vou colocar a resposta aqui nas próximas 48 horas.
      Aperta o botãozinho aí para seguir a Dupla e volte para ver a resposta, ok?

      Abs da Dupla

      Excluir
    2. Olá Bruno!

      A Dupla contactou um amigo que mora aqui em Vancouver, brasileiro (aliás... ele já é Canadense, pois foi mais esperto que a maioria e veio para o Canadá antes de muita gente rsrsrs). Enfim, ele é um Analista de Sistemas super bem conceituado e sempre sabe de TUDO que acontece em Vancouver e arredores.

      Ele não só respondeu à sua dúvida, dizendo que o termo “Function Analyst” está certo como até encontrou uma oferta de vaga para você aqui em Vancouver! Olha que máximo!

      Clica aí no link e depois por favor volte aqui no Blog para mandar um abraço para o S.G. que foi quem ajudou a Dupla a responder sua pergunta!

      Abraços e boa sorte!

      E vocês aí que ainda não comentar no post ou não começaram a seguir a Dupla ou não compartilharam o post no Facebook de vocês? Estão esperando o que? rsrsrsrsrs

      http://jobview.monster.ca/PeopleSoft-HRMS-Functional-Analyst-Job-Vancouver-BC-Canada-163839770.aspx?mescoid=1500123001001&jobPosition=1

      Excluir
  5. Alô alô Bruno e leitores de TI:

    A Dupla (sempre preocupada com a privacidade de suas fontes rsrsrs) tinha colocado apenas as iniciais de quem nos ajudou a responder sua pergunta mas fomos autorizados a dar um pouco mais de informação sobre nossa fonte (rsrsrs), assim, quem sabe, quando vc vier para Vancouver e ficarem amigos poderão rir relembrando este post.

    Nosso obrigada ao Sidney G. o amigo que ajudou (e sempre ajuda a Dupla em diversos assuntos) além de ajudar muita, muita gente em diversos assuntos também, sempre compartilhando a experiência dele com uma boa vontade difícil de encontrar por aí.

    Boa sorte e sucesso para todos! :)

    ResponderExcluir
  6. Sabe dupla a estratégia que tenho usado? Pesquisado o perfil das vagas que mais me interessam, obivamente as quais tenho experiencia mais contudente. Porque voce sabe o que faz no Brasil, mas é dificil passar isso pro ingles. Por isso tenho estudado bastante os perfis, atividades e experiencias relevantes. Em muitas delas consegui identificar os tipos de trabalho que eu tenho experiencia e em quais não. Fica a dica e depois é só pedir a correção do amigo nativo! beijos

    ResponderExcluir
  7. Olá dupla! Esse post está sendo de grande valia, obrigada pelas dicas e pelo trabalho que tem feito, está ajudando muito a quem quer ir embora para o Canadá! Estou acompanhando todos os posts! Thanks!!
    I.R.

    ResponderExcluir
  8. Ola Dupla!! Obrigada por este verdadeiro empurrão para o mercado de trabalho canadense!!!

    ResponderExcluir
  9. Duplaaaaaa cade vcs!!! Estou morrendo de saudades! Escreve aí!

    ResponderExcluir
  10. Ótimo post!
    Pergunta: vocês sugerem alguma empresa para revisar o curriculum? Como foi mencionado, a forma como é feito o mesmo e a descrição que colocamos (ou que normalmente é aceita pelas empresas no Brasil) é bem diferente do que é nos Estados Unidos e Canada, por exemplo. Então, pra quem não tem alguém conhecido, de repente uma ajudinha profissional é bem vinda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Monica!

      Tem uma pessoa aqui em Vancouver que faz esse trabalho, posso te passar o contato dela se vc quiser. Me manda um email para dupla “ponto” canadense “arroba” gmail “ponto” com e eu te passo o contato dela.

      Abs e boa sorte!

      :)

      Excluir
  11. Olá Dupla,
    Tenho acompanhado o blog vocês a um certo tempo e gostaria de um help.
    Sou Advogado em Cuiabá-MT Brasiu iuiu rsrs.
    Sou casado, tenho 2 filhas: de 5 e 8 anos, estou pensando em imigrar para o Canadá.
    Não tenho inglês fluente, então e as estratégias pensadas foram:

    1- COLLEGE - matricular no college (apenas eu de inicio), com a carta de aceitação condicional (aquela que vou ter que fazer um curso de inglês para o college me aceitar), alugar uma casa, comprar um carro, trabalhar no tempo vago e assim que encerrar meu college (pós graduação), tentar um emprego na área e aplicar a cidadania para eu, minha esposa e filhas.

    2- CURSO DE INGLÊS: como não tenho o curso, pego o visto de turista, vou para o Canadá matriculado em um curso de inglês (já vi que isso é possível), quando da entrada eu apresento o documento de matricula do curso e tenho um visto de estadia maior (que de costume para turista.
    Nesse tempo eu alugo uma casa, compro um carro, trabalho no tempo vago e assim que concluir o curso, eu matriculo no college (pós graduação), já com o inglês fluente, tento um emprego na área e aplicar a cidadania para eu, minha esposa e filhas.

    3- CURSO DE INGLÊS SEM MATRICULA: como não tenho o curso, pego o visto de turista, vou para o Canadá e quando estiver ai eu procuro e me matriculado em um curso de inglês (não sei se é possível).
    Nesse tempo eu alugo uma casa, compro um carro, trabalho no tempo vago e assim que concluir o curso, eu matriculo no college (pós graduação), já com o inglês fluente, tento um emprego na área e aplicar a cidadania para eu, minha esposa e filhas.

    Ufa! acabei.
    Minhas perguntas são: qual das ideias malucas dão certo?
    É possível matricular minhas filhas estando com visto de turista?
    É possível alugar casa e comprar carro e arrumar emprego com o visto de turista?

    Obrigado pela ajuda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Eduardo,

      Acho bobagem vc vir para aprender ingles aqui, onde os cursos de inglês são bem mais caros do que no BR. Eu se fosse vc, focava em aprender inglês aí mesmo no Brasil, estuda “500 horas por dia”, e aí, depois que vc fizer o IELTS vc vem, ou pelo Express Entry ou para fazer o College.

      Note que com visto de turista vc está absolutamente proibido de trabalhar. Nunca, jamais tente isso porque se você for pego pela imigração (muitos são), você inviabiliza qualquer projeto de vida aqui ou nos estados Unidos (os dois países compartilham esse tipo de informação).

      Não pense também que, sem ingles fluente voce consegue emprego aqui. Pode até conseguir algum tipo de sub-emprego, mas creio que vc, advogado, casado, com 2 filhos não vai querer trabalhar recolhendo lixo ou lavando cozinha de restaurante.

      Faz a coisa com calma. Direitinho. Estuda que nem um “cão” pra prova do IELTS. Tira nota boa e depois tudo ficará mais fácil.

      Abs, boa sorte e paciência enquanto aguarda a prova!



      Excluir
    2. Oi Dupla, cheguei em Halifax-NS em fevereiro deste ano e para o pessoal que esta pensando em vir acho que eles tem que pesquisar algumas coisas nos sites do governo canadense, em 2014 fizeram MUITAS mudancas com relacao a trabalho e estudo pelo pais afora. Abaixo algumas delas.

      Curso de Ingles: se vc nao eh residente permanente, refugiado ou residente temporario com protocolo registrado para residente permanente o governo do Canada nao te oferece nada, absolutamente nada. Aqui em Halifax um curso de ingles "particular" custa 300 dolares por SEMANA. Na Dalhousie fica em 4000 por 2 meses.

      Visto de trabalho: com a mudanca da lei em julho de 2014 (vide: Labour Market Impact Assessment (LMIA)), as empresas tem que dar prioridade para o Canadense, residente permanente e refugiado. Na pratica o que isso significa? Que o visto de trabalho praticamente nao serve para nada, pois a chance de conseguir um emprego medio por aqui eh NENHUMA, excecao para mao de obra especializada (entenda por isso PhD) que o Canada esteja precisando.
      Na realidade, se a pessoa nao chegar aqui como imigrante, ela nao tem direito a absolutamente nada, e quase como ter um visto de turista por um tempo maior.

      Os acompanhantes dos brasileiros que vem pra Dalhousie fazer pos graduacao ou professor visitante vem com "open work permit" e na TEORIA poderiam trabalhar, porem na PRATICA nao conseguem emprego e sequer subemprego, e com isso por questoes financeiras alguns tem ficado inclusive sem seguro saude (o que eh um grande risco).
      Os acompanhantes que sabem ingles quando conseguem, se enfiam em trabalhos voluntarios para "treinar" e aperfeicoar o idioma, alem de usar o servico voluntario como forma de se entrosar na sociedade, os acompanhantes que nao sabem ingles o suficiente para se comunicar estao numa situacao bem dificil.
      Muitos vieram de acompanhante (na maioria conjuge) pensando em fazer aqui o que eh feito nos EUA, la a pessoa consegue estudar (inclusive ilegal) de graca em escolas do governo, e consegue um trabalho (nem que seja ilegal)... Aqui no Canada pode ATE conseguir, mas as chances sao minimas. Como vi em uma palestra:"...o Canada eh diferente, eles tem um ritmo proprio, tanto que eh um pais que nao tem data de independencia e sua constituicao eh datada de 1982...".

      Saudade dos posts. bjs

      Excluir
    3. Olá Fabio e Simone!

      Obrigada pela contribuição ao Blog da Dupla! É super importante a participação de leitores como vocês, que mostram o que é a realidade.

      O que tem mais por aí são empresas e “consultores” dizendo que a vida é toda cor-de-rosa e as pessoas, muitas com orçamento bastante apertado, gastando o que podem e o que não podem para vir ao Canadá “estudar inglês” , achando com isso que conseguirão emprego e conseguiram ficar por aqui. Não ficam. Só gastam e voltam para o Brasil com menos dinheiro, mais tristes ainda com a situação do Brasil (pois comparam a calma, educação, limpeza e segurança que existe no Canadá) e... pior ainda.... voltam SEM ter aprendido inglês. Não existe milagre, inglês não se aprende em 4 meses. Acho o intercâmbio de vir para praticar inglês muito bonitinho para adolescentes, que ainda estão na high school, para terem uma visão do que é se virar sozinho sem papai-e-mamãe, para praticarem amizade e companheirismo com outro povos. Brasileiro adulto largar tudo para “vir aprender inglês” aqui eu acho um suicídio, a não ser que o cara seja muito, muito rico e na realidade o curso de inglês é apenas uma viagem de turismo com um objetivo cultural.

      Essa semana escrevo um post, prometo! É que a gente vai ao Japão, então estou aqui estudando a cultura e planejando o que é preciso ser visitado! :)

      Abraço graaaaande e obrigada novamente!

      Dupla

      Excluir
  12. Oi Dupla, por favor podem passar o email de vocês?

    Obrigada,

    Claudia Carvalho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nosso e-mail é dupla "ponto" canadense "at" gmail "ponto" com
      Mas... nós não somos consultores de imigração (e nem indicamos ninguém), então preferimos responder às perguntas que são feitas aqui nos comentários pois a resposta pode ajudar a outros com a mesma dúvida! :)

      Abs e boa sorte!

      :)

      Excluir
  13. Boa tarde, Dupla.
    Acompanho o blog de vocês e parabenizo pela disponibilidade de nos informar sobre a realidade da vida dos Canadenses.
    Porém, estou(ava)...rsss...planejando em ficarmos 6(seis) meses, eu Adm de Empresas e com 17 anos de experiencia como Gerente de ERP(IT) (40 anos), minha esposa Arquiteta (32 anos) e um filho de 2(dois) anos para o aprendizado de inglês em Vancouver, ou seja, eu estudaria de manhã e minha esposa a tarde, mas com seu ultimo comentário (dia 29/março ao Fabio e Simone) sobre a frustação/retorno dos brasileiros voltarem sem conseguir falar inglês, me deixou um tanto preocupado!
    Você acha que realmente em seis meses intensivos num curso de inglês para quem tem o básico não conseguiria voltar como uma boa base?? E, vocês indicariam algumas escolas que ministram curso de inglês, e julgariam competentes e sérias no ensino, pois ao procurarmos aqui no Brasil as agências de intercâmbio, não sei se escolhem a melhor opção para agência ou para nós.
    Saliento que meu objetivo é aprender o inglês em um prazo de seis meses e retornar ao Brasil para sermos recolocados no mercado de trabalho, e a escolha do país Canadá é o que vocês relatam muito (segurança, educação, custo etc) e não optamos em irmos aos USA é por medo desse maluco do Trump provocando a Coréia do Norte...rsss
    Por favor, peço que seja bem franca como sempre com relação aos meus questionamentos e fique a vontade para me aconselhar com outra sugestão que julgue pertinente ao meu perfil.
    Abraços, agradeço e peço que continuem nos informando sobre a realidade do Canadá-Vancouver.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!

      Obrigada pelo contato!

      Sinceramente? Em 6 meses dá para dar uma “familiarizada” com o inglês mas para ser super fluente e escrever muito bem etc e tal é preciso mais tempo de estudo.

      Para aprender inglês (gramática etc) os cursos no BR são BEM mais baratos do que aqui. Eu, particularmente, acho mais interessante fazer um intensivo de ingles aí no Brasil e vir para cá para dar um “polimento”, melhorar a pronúncia, melhorar a fluência e tal. Mas a parte “chata” que é muito verbo, gramática, interpretação de texto, redação etc vc salva muito mais dinheiro fazendo aí no BR do que aqui. As escolas de ingles aqui cobram caro não só porque a mão de obra é cara (salário dos professores etc) como também porque muita gente paga “qualquer coisa” para ter um visto de estudos e depois tentar permanecer por aqui.

      As agencias em geral indicam onde a comissão é maior, onde a escola dá mais vantagens para eles. Nem sempre será indicada a melhor escola em termos de ensino.

      Sucesso para vcs!

      Excluir

Seu comentário será publicado após nossa aprovação. Obrigada.

Your comments will be published after our approval. Thank you.

You May Also Like